Loading...

Construção de Ensaios Fotográficos

com Gil Sibin

25, 26 e 27 de agosto

R$320,00

Loading...

Descrição

Construção de Ensaios Fotográficos

Programa
Buscando resgatar a importância da arte na formação do indivíduo, a dinâmica deste programa desenvolverá uma metodologia própria de formação, aplicando seus conceitos e valores na construção do conhecimento. Neste sentido o objetivo será discutir o processo de articulação de ideias, conceitos, noções estéticas, referências e motivações sobre o fazer fotográfico. Também resultará no acompanhamento do desenvolvimento do trabalho visual do participante através de suas especificidades, seja em projetos concebidos previamente ou para aqueles que experimentam suas imagens fotográficas, orientando-os para o encaminhamento de sua produção. O programa também visa debater e refletir acerca da construção narrativa, concentrando-se nas perspectivas poéticas e suas possibilidades de edição, fornecendo ferramentas para o participante refletir, desenvolver e concretizar o seu ensaio fotográfico.

Formato
Dinâmica de 03 encontros, sendo que nos dois primeiros, quinta-feira e sexta-feira, respectivamente dias , com duração de 90 minutos para cada, sendo que no sábado, dia 27 de agosto terá duração de 240 minutos. Exercícios práticos com devolutiva para cada participante. Construção e finalização de um ensaio fotográfico

A quem se destina

Para fotógrafos criadores de qualquer nível que desejam explorar a fotografia narrativa ou conceitual e que queiram construir seu próprio universo artístico por meio de imagens que, no seu conjunto, possam contar histórias.

Objetivo do programa

Construir de narrativas através da composição de imagens e do aprendizado de como criar histórias através delas.

Desenvolver a poética e a construção narrativa da produção autoral do participante, tanto através da linguagem visual quanto de atividades que o auxiliem a organizar seu portfólio, expressar ideias e conceitos.

Estudar processo da construção do ensaio fotográfico através da análise, discussão e interpretação de imagens.

Entender o ritmo, progressão e organização construindo tensão e criando narrativa e poética para contar uma história.

Auxiliar o participante a desenvolver a Fotografia como prática artística contemporânea.

Desenvolvimento:

Através da criação e produção fotográfica individual, o conteúdo será desenvolvido de forma contínua durante três encontros e orientação individual, sendo finalizada com apresentação de ensaios fotográficos construídos pelos participantes.

 

Módulos:

Dia 25 de agosto:
Autoconhecimento / Autorretrato
Origem, identidade e memória
imagens mentais e sentimentos
visão dos mundos interno e externo
ultrapassando os limites da fotografia
acesso aos códigos pessoais e simbólicos

 

dia 26 de agosto:

Poética da Imagem e Narrativa

codificação: linguagem e expressão poética
construindo narrativas: possibilidades do funcionamento poético
possibilidades e tipos de narrativas

Abordagem e ferramenta
estratégias e desenvolvimento
experiências sensoriais e emocionais
representações: verdade, realidade e ficção
construindo imagens com novas ferramentas

dia 27 de agosto:

Fotografia expandida
Multiplicação das possibilidades

Linguagem, edição e suporte
Síntese na criação
Singularidade na autoria
materialidade: suporte e criação da imagem
finalização

Dinâmica dos encontros e Avaliação

Serão discutidas as referências do processo criativo do próprio participante e a utilização e discussão de ensaios de artistas visuais, que serão analisados a partir dos métodos de criação da narrativa, construção de séries, processos e linguagens. A produção de cada um será avaliada continuamente pelo orientador.

Atividades das etapas propostas neste programa:

Orientação para desenvolvimento da narrativa

Leitura: análise e discussão de material fotográfico já produzido, com a intenção de auxiliar o participante no desenvolvimento de seu trabalho.

Referências para construção da série fotográfica: pesquisa e análise da produção de outros artistas, relacionada ao trabalho que o participante pretende desenvolver. A pesquisa de referências deverá ser rotina da construção de ensaios.

Construção da poética na narrativa fotográfica: discussão sobre os processos e apresentação de narrativas de fotógrafos autorais com o objetivo de provocar a reflexão sobre o desenvolvimento da própria poética.

Linha de Pesquisa, referências artísticas e teóricas
Pretende-se utilizar o conceito de fotografia contemporânea, que incorpora elementos e técnicas híbridas, com ênfase nos processos e procedimentos técnicos, resultando na produção de imagens que subvertem as regras e os modelos estabelecidos. Ao desarticular as referências usuais, propõe ao observador não só mergulhar no mundo das imagens, mas comparar, elaborar conexões, estabelecer relações e explorar suas potencialidades narrativas, considerando que, ao longo da história (recente), a fotografia atravessou experiências de várias formas. O foco das discussões dos encontros se deslocará das especificidades da fotografia para as possibilidades de trânsito e reconfiguração de seu estatuto.

 

Projeto do programa:

O participante desenvolverá um ensaio que seja capaz de contar e perceber, por si ou em conjunto, o conceito narrativo.

 

 Gil Sibin é fotógrafo, colecionador, gestor e pós graduado em Artes Visuais, Multimeios e Educação pela UNICAMP (SP), desde sempre é um apaixonado pela riqueza e complexidade das imagens e dos sentidos que as representam. A partir do estudo das artes fotográficas, dedicou-se à produção e a prática da ampliação e revelação.

Seu interesse está relacionado à exploração de novas potencialidades narrativas que ultrapassem os registros fotográficos convencionais, a partir da poética da desconstrução de uma imagem e sua resignificação numa outra, com signos e  interesses alterados. A dedicação à pesquisa técnica, conceitual e estética levaram-no ao desenvolvimento de um trabalho autoral consistente, objeto de exposições em diversos museus, galerias e centros culturais do Brasil, Inglaterra e Portugal. Algumas de suas obras integram acervos públicos da Universidade de São Paulo, do Museu de Arte Contemporânea da Bahia, do Museu do Douro (Portugal), bem como coleções privadas.

Entre 1982 e 1985, realizou levantamentos fotográficos de prédios tombados pelo Patrimônio Histórico nos Estados de São Paulo e Minas Gerais, participou da exposição coletiva “Tradição e Ruptura”, na Fundação Bienal de São Paulo, e foi selecionado para a Mostra Internacional de Fotografia Nikon 84/85, em Tóquio, Japão. Nos anos de 1987 e 1988, participou da terceira e quarta edições do Salão Nacional de Fotografia de Minas Gerais, em Poços de Caldas, onde foi premiado.

A partir da década de 90, a fotografia abriu espaço para outras paixões como arquitetura, cinema, artes plásticas e escultura. A retomada da fotografia aconteceu entre os anos de 2008 e 2010, quando suas viagens por países dos cinco continentes deram origem a diversas séries fotográficas, dentre as quais “Morte e Ressurreição” e “Made in China”, que percorreu várias cidades do Brasil (2009 e 2010).

No mesmo período, realizou extenso trabalho fotográfico no Brasil e no exterior, concluindo a  trilogia  “Aeroportos”,   subdivida   em   “Céus Imaginários”, “Universo Paralelo” e “Anjos Caídos”. Futuramente, as três séries serão condensadas e publicadas em livro único pelo Instituto Global de Cultura. A primeira série já foi transformada em livro, com prefácios de Norval Baitello Junior, Renato Cury e Paulo Gallina.

Durante 2009, realizou cinco exposições individuais e uma coletiva em museus e centros culturais, no Brasil e no exterior, sendo uma delas a abertura da série individual na 16 mm Gallery, em Londres, com curadoria de Alicia Bastos.

Durante o ano de 2011, produziu as séries inéditas “Lixo Revirado” e “Vermelho” e, com três obras de ensaios distintos, participou da mostra coletiva na Galeria Sérgio Caribé, em São Paulo, tendo seu trabalho incluído no livro 1ª Mostra de Artes, com curadoria de Fernando Figueiredo. No final do mesmo ano, participou da exposição coletiva “Olho de Vidro” no Instituto Kreatori, Rio de Janeiro.

No início de 2012, expôs a série “Céus Imaginários” na Galeria de Arte Papyrus, em São João da Boa Vista (SP). Em seguida, a convite do curador Teodoro Dias, a mostra permaneceu no Instituto Moreira Salles, em Poços de Caldas (MG), durante dois meses e posteriormente no Centro de Exposições de Ouro Preto (MG).

Nos últimos anos, buscando aperfeiçoamento estético e conceitual, cursou ‘Teoria da Cultura, Semiótica e Comunicação’, com o professor Norval Baittelo Junior, e especializou-se em ‘Artes Visuais, Multimeios e Educação’ pela Unicamp – Universidade Estadual de Campinas (SP), tendo se dedicado à pesquisa da obra da fotógrafa Diane Arbus. Entre agosto de 2012 e final de 2016, convidado por Eder Chiodetto, um dos mais conceituados curadores de fotografia do Brasil, participou de um grupo de estudos e desenvolvimento de fotografia autoral com sua orientação direta.

Em 2013, criou o GLOC – Instituto Global de Cultura – um centro de estudos e pesquisa, voltado para a discussão e referência na produção fotográfica e tutoria de fotógrafos interessados no desenvolvimento de projetos autorais, na cidade de Águas da Prata (SP).

No mesmo ano, foi o único fotógrafo brasileiro indicado e selecionado como convidado para o “Projeto Entre Margens”, da Fundação Museu do Douro, em Portugal. Tendo aceito o convite, passou duas semanas em Portugal para fotografar, editar e finalizar as imagens que resultaram na série “Via Sacris”, totalizando 34 fotografias, em dimensões de 1,00 x 1,00, que tiveram exposições itinerantes nas cidades de Vila Real, Lamego, Peso da Régua e Porto, de maio a outubro de 2013, a qual faz parte do acervo do museu, além de ter sido gravado um documentário sobre o processo de criação do ensaio no “Projeto Entre Margens”.

Em 2015, um dos ensaios – “ A Dor do Outro – Ensaios sobre Autorretrato” – foi selecionado pelo curador Eder Chiodetto, do MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo, para o principal festival de fotografia do Brasil – Paraty em Foco.

Como agitador cultural, foi um dos fundadores da AMITE – Associação dos Amigos do Theatro Municipal de São João da Boa Vista (SP), entidade que administra o teatro, na qual foi presidente em duas das gestões e vice presidente em outras cinco.

Da extensa experiência como gestor empresarial traz consigo a competência em administrar, liderar, planejar, desenvolver pessoas e identificar oportunidades. Visionário, idealizador do projeto e diretor geral do GLOC – Instituto Global  de Cultura, vem, desde 2009, colocando tijolos sob o seu sonho de viabilizar e disseminar as artes visuais, em especial a fotografia, tendo como princípios a produção artística, a educação e a responsabilidade social.

Fez a curadoria e organizou mais de 25 exposições e ministrou mais de 20 workshops no GLOC e em outras instituições.

Foi o idealizador, diretor artístico, produtor e um dos curadores das três edições 2014, 2015 e 2016 do FESTimagem – Festival Internacional da Imagem, em Águas da Prata (SP), São João da Boa Vista (SP) e Poços de Caldas (MG), organizado e realizado pelo GLOC. Foi o coordenador geral do FESTimagem 2018 – Encontros da Imagem que foi realizado de março a julho de 2018 nas cidades de Águas da Prata e São João da Boa Vista – SP. Sibin é orientador do Grupo de Estudos e Criação Artística no GLOC Educação, em Águas da Prata (SP – Brasil) desde 25 de julho de 2013 até 2020 e nos anos 2018 e 2019 ministrou cursos e leituras de portfófios no IMS – Instituto Moreira Salles.

De março a junho de 2019 fez residência artística em Londres, Inglaterra, período no qual visitou inúmeras galerias de arte e museus, pesquisando técnicas e ensaios e desenvolvendo ensaio fotográfico o qual resultou em convite para expor na galeria The Tommy Flowers, com curadoria de Garry Hunter, da Fitzrovia Noir – Community Interest Company, em Londres. A mostra estava programada para abertura em março de 2020 e suspensa por questões da pandemia, a qual será agendada oportunamente. Em 2022 abre a Casa Atelier, no Instituto Gloc, no qual inicia-se atividades artístico-culturais, tal como roda de conversas e atelier aberto para criação  e produção em conjunto com outros artistas e curadores convidados.

 

Está interessado neste curso?

Informe seus dados, e assim que possível lhe retornaremos:

Meu carrinho
Carrinho